1 motivo apenas para você nos contar se já teve um Negócio Próprio - Blog Dinheiro em Casa

Junte-se a Nós!

Receba por E-mail os Artigos do Blog e Aprenda a Ganhar Dinheiro em Casa.

1 motivo apenas para você nos contar se já teve um Negócio Próprio


1 Motivo Apenas para você nos Contar se já teve um Negócio Próprio.


1 motivo apenas para você nos contar se já teve um negócio próprio


Olá!

O Blog Dinheiro em Casa só existe porque pessoas, com histórias distintas, se uniram para trocar experiências e, nesse processo, se descobriu que todos têm muito a oferecer um ao outro.

Por isso, neste post de hoje, vamos fazer diferente.

Para começar, queremos que saiba que você tem apenas 1 motivo para nos contar se já teve um Negócio Próprio.

E qual é esse motivo? SUA PRÓPRIA HISTÓRIA.

Por que sua própria história seria um motivo?

Porque acreditamos que todos tenham experiências a serem passadas que podem contribuir para o crescimento de alguém em algum momento.

E com você não é diferente. Jamais pense o contrário disso: “Você tem sim, muito a oferecer.”

Esse é o seu momento, pode desabafar!

1 Motivo Apenas para você nos Contar se já teve um Negócio Próprio.

Lembre-se apenas de uma coisa.

Caso, nesse processo de empreender, você tenha se sentido perdido, desanimado, sozinho ou mesmo incapaz, não encare essa experiência como fracasso, mesmo porque o fracasso não existe.

Infelizmente, vivemos em uma cultura social onde “experiências não positivas” não são valorizadas e, todo aquele que, em algum projeto tenha falhado, é visto como fraco e isso gera vergonha que, por sua vez, leva ao medo de continuar tentando.

Mas, como foi dito, o fracasso não existe. O que existe são experiências e resultados.

O espaço também está aberto para você que nunca teve um negócio próprio, mas quer tê-lo um dia.

Por isso, sem medo, solte o escritor que tem dentro de você e nos conte suas experiências e resultados ou suas expectativas sobre esse assunto, ok?

E se conhece mais pessoas que tem histórias para nos contar, compartilhe e massifique essa ideia.

Forte abraço!

Você pode fazer esse artigo chegar a mais de 50 milhões de Pessoas com Deficiência! Compartilhar é Incluir!!!
Cadastre seu e-mail para receber os artigos do blog e aprender a ganhar dinheiro em casa!

Deixe seu comentário!


2 comentários:

  1. Me chamo Fabíola Hernandez Nyari, hoje com 37 anos de vida, psicóloga, educadora e tetraplégica. Em 2007, quando eu estava com 27 anos, recebi um convite para uma sociedade em escola de Educação infantil bilíngue no interior de São Paulo.

    Eu já trabalhava na área cerca de 7 anos e resolvi aceitar a sociedade, eu cuidava da parte pedagógica e minha sócia da parte financeira. Fizemos uma pesquisa de território de São Paulo, e por ser uma escola de educação infantil bilíngue, acaba atingindo um público com poder aquisitivo elevado e em São Paulo já havia duas ou três escolas bilíngues nos melhores bairros, aumentamos o campo da pesquisa e vimos que São José dos Campos era uma boa cidade para investir por ter bastante muitos estrangeiros que trabalha na Embraer.

    E então abri minha própria Escola de Educação Infantil Bilíngue em São José dos Campos...

    Fui com cara e coragem, nunca havia estado lá e tudo deu muito certo. Foi um ano e meio apenas de investimento, depois disso a escola estava se mantendo por si só e após 2 anos, quando a escola estava entrando na fase de dar lucro, uma nesta nova fase de sucesso profissional crescendo mais e mais, o planeta Terra girou e outra fase chegou, o acaso veio e sofri um grave acidente automobilístico.

    Passei 3 meses na UTI, 1 mês do quarto hospitalar, voltei 15 dias na UTI e mais 15 dias no quarto, só então tive alta! Esta fase obrigou que minha sócia vendesse a escola, afinal, todos os dias os médicos diziam que seria o último dia, que eu poderia morrer a qualquer minuto... Eu não me lembro de nada, simplesmente apagou da minha memória cerca de 6 meses antes do acidente e para mim, nunca estive no hospital, “acordei” na casa da minha mãe, tetraplégica!!! Boom...!!!

    Fraturei a coluna cervical nas vértebras 4, 5 e 6, ou seja, fraturei a C4, C5 e C6. O que me tornou tetraplégica! Pode acontecer!!! Assim de repente e não mais do que de repente!!!

    E hoje, estou iniciando um novo negócio de Palestrante. Uso minha bagagem pessoal de histórias com sucessos e diversos percalços, que contribuíram para que eu acumulasse experiências interessantes para hoje promover palestras reflexivas para que, de alguma forma, minhas vivências possam inspirar iniciativas pessoais de ímpeto, entusiasmo e superação, com consciência e propriedade sobre as escolhas que fazemos na vida.

    Obrigada!

    Fabíola.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Fabíola! Boa tarde!

      Em primeiro lugar, muito obrigada pelo depoimento e contribuição com o BDC. Gratidão Eterna!

      Parabéns pela superação. Realmente adquirir uma deficiência no percurso de uma vida não deve ser fácil. Eu sempre fui deficiente, mas ao longo dos anos certas limitações vão aumentando e já é bem chato, imagina uma interrupção, assim de repente.

      Porém é lindo ver que a nova condição te impulsiona a contribuir com outros que precisam de modelos a serem seguidos. Parabéns pela inciativa.

      O Mercado de Palestras é bem promissor e tenho certeza que se sairá muito bem.

      Desejo-lhe sucesso nos palcos e na vida e quem sabe a gente não se encontra em um palco ou outro por aí.

      Forte Abraço!!!

      Excluir